Somente no primeiro trimestre de 2020, foram criadas 889.003 empresas no Brasil. Deste valor, cerca de 79,3% são microempreendedores individuais (MEIs). Se comparado ao mesmo período do ano passado, o crescimento na abertura de MEIs chega a um crescimento de mais de 10%.  Os indicadores revelam que mesmo em meio a crise na saúde, a economia continua se movimentando. Segundo o levantamento, a cada 10 empresas criadas no período, 7 são da categoria serviços.

A maioria das empresas que tiveram sua abertura no primeiro trimestre deste ano é do setor de serviços. Entre os estados citados com o maior número de abertura de empresas estão: Amazonas, Pará, Roraima, Sergipe e Maranhão. A região sudeste teve um crescimento mais moderado, os estados onde houve número significativo de abertura de empresas foram, Rio de Janeiro seguido de São Paulo. As regiões sul e centro-oeste também demonstraram leve crescimento na abertura de empresas durante o período.

O crescimento identificado nos primeiros meses de 2020 pode ser justificado pela necessidade de empreender em meio a crise, com a realidade do desemprego, muitas pessoas investiram na área de serviços como mecanismo para se manter e ter crescimento profissional.

Os empreendedores categorizados como MEIs, atualmente tem maior facilidade em realizar o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ). Todo o cadastramento é realizado online, e com este registro, o empreendedor pode emitir notas fiscais, abrir conta no banco e até mesmo pedir empréstimo bancário de forma mais prática. Os números demonstram que mesmo em meio a crise sanitária consequência do Covid 19, é possível observar que houve crescimento mesmo durante a pandemia.