A vacina para o Coronavírus (COVID-19) já é uma realidade para o brasileiro. A pandemia que está presente desde meados de fevereiro de 2020 no Brasil, se alastrou rapidamente fazendo vítimas fatais no país e também, trazendo uma série de dificuldades para a economia. O governo afirma que a imunização a partir da vacina se iniciará ainda em janeiro deste ano, mas o que isso poderá mudar para a economia?

A probabilidade maior é que a vacina consiga reverter os estragos que a pandemia causou na economia. Alguns estudiosos da área acreditam que em 8 meses (contando desde o início do período de vacinação) a probabilidade é que a economia retorne a ter crescimento.

Algumas mudanças em alguns setores da economia também podem acelerar o processo de vacinação, na aviação, por exemplo, a companhia aérea da Austrália Quantas Airways, já informou seus clientes que irá aceitar transportar apenas clientes vacinados que possam comprovar via certificado que foram vacinados com a vacina do COVID-19. Esse quadro poderá ser observado em outras áreas também.

No Brasil, o governo já informou que possui duas opções de vacina: AstraZenica/Oxford da Fiocruz e Sinovac/Coronavac do Instituto Butantan. A princípio, o plano de vacinação no Brasil tem probabilidade de começar ainda em janeiro de 2021.

Para a economia mundial, alguns especialistas acreditam que o PIB mundial pode apresentar um crescimento de 4,2% após o processo de vacinação da população. Pois os especialistas acreditam que após a vacinação será possível retornar ao crescimento normal em todos os setores da economia.